More Together | A More Together visa contribuir para a melhoria de vida da pessoa carenciada, através do trabalho voluntário, alicerçado numa formação holística, que permita promover acções transformadoras na sociedade.

logo_white-03

Relações humanas
que fazem a diferença

01
Vision

Who we are

Escrever sobre ser voluntário da More Together no projeto Homeless is More, mesmo que vários meses após o fim da edição em que participei, continua a ser um exercício que traz memórias felizes. A rotina semanal e mecanizada de acertar o ponto de encontro e a hora de referência rapidamente fluía para momentos únicos e inesquecíveis em cada conversa, confissão, sorriso ou lágrima que partilhávamos com quem falávamos na rua.

Inicialmente a medo, pouco à vontade, começámos a trocas palavras, a conhecer e a saber mais de várias pessoas. Com o passar das semanas as conversas passaram a surgir e a progredir naturalmente e as relações humanas a fortalecerem-se. É esta a magia do Homeless is More. A criação de um elo entre pessoas que de outro modo nunca trocariam mais do que um tímido bom dia. A criação de um elo que, com o passar do tempo, aproxima pessoas que se começam a preocupar umas com as outras. E a criação de um elo que pode ajudar pessoas que, num certo momento, vivem numa condição mais difícil.

Acredito, sinceramente, que a pequena parte de um dia por semana que os voluntários dão a este projeto pode ser muito importante (até o ponto alto da semana!) para as pessoas que, vivendo na rua e muitas vezes de forma solitária, encontram, de forma regular e garantida, um momento em que podem falar, conversar, contar histórias, espairecer, rir…

Igualmente, qualquer voluntário que se dedique ao projeto sairá dele incomensuravelmente mais rico, com uma novas experiências e novas memórias, uma nova realidade conhecida e novos amigos, quer sejam os restantes voluntários da equipa, quer sejam as pessoas com quem se vão cruzando ao longo do projeto.
02
Notícias

Próximas histórias

Seremos assim
tão diferentes?

Normalmente vêmo-los…mas não gostamos. Acreditando que em qualquer coração reside, ou resta, um pouco de compaixão, não ficamos indiferentes aqueles que habitam pelas nossas ruas.

Uma alegria
despida de bens

Saí de casa pelas 21:15 com o estômago saciado e acompanhado por 4 jovens que, como eu, queriam fazer algo diferente naquela noite.

Parceiros